DETECÇÃO PARA COVID-19

Entendendo os testes diagnósticos para COVID-19

 

Há duas categorias de testes que estão disponíveis para a COVID-19:

  • Testes que detectam o vírus: são os de biologia molecular (RT-PCR), e
  • Testes que pesquisam os anticorpos que o organismo produz contra o vírus. Esses anticorpos são de dois tipos, IgM e Ig

Mais detalhes:

 

O teste que detecta o vírus (RT-PCR) é usado se você tem sintomas semelhantes à gripe. Ele dirá se a infecção é atual, ou seja, se você foi contaminado pelo coronavírus, mas ATENÇÃO, se ele der negativo não significa que você não tenha a COVID-19, pois algumas vezes a coleta da amostra não consegue obter uma quantidade de vírus que positive o teste. Portanto, neste caso, você deve procurar orientação médica, pois ou você repete o teste molecular ou você não tem COVID-19 e seus sintomas são devidos a uma outra causa.

 

O teste que pesquisam anticorpos (IgM e IgG) deve ser realizado quando você tem sintomas e quer fazer esse teste junto com o teste molecular para aumentar a chance de identificar a presença do coronavírus ou você não tem sintomas, essa é a grande aplicação desse teste, e deseja saber se você teve uma infecção anterior, mas que passou despercebida, ou seja, você não teve sintomas ou teve sintomas leves que não considerou.

 

Se você testar positivo para COVID-19 por um teste de biologia molecular (RT-PCR), você está com a COVID-19 e, portanto, medidas de proteção devem ser tomadas, onde o isolamento é necessário para você e para os outros. Assim, procure orientação de um profissional médico.

 

Se você testar positivo para anticorpos, saiba que se for o anticorpo IgM, ele aparece nas infecções recentes, mas, não se esqueça, existe a chance de ser uma IgM falso positiva, e esta é uma possibilidade dos testes de anticorpos. Portanto, isole-se, procure orientação médica e realize o teste que detecta o vírus (RT-PCR).

 

Se for positivo o anticorpo IgG, provavelmente você teve contato com o vírus previamente e, teoricamente, você está “protegido” da COVID-19. Entretanto, esteja ciente que neste caso também há a possibilidade de ser uma IgG falso positiva. Aguarde 14 dias e repita seu teste usando um teste de anticorpos de procedência diferente daquele que você fez. O Laboratório Maricondi pode orientar você sobre isso. Peça orientação.

 

 

 

Se os dois anticorpos (IgM e IgG) estiverem positivos, você pode estar em período de convalescença, ou seja, de recuperação da infecção, mesmo que não tenha sintomas. Se tiver sintomas, realize o teste de RT-PCR e procure orientação médica. Se estiver sem sintomas, aguarde 14 dias e repita seu teste usando um teste de anticorpos de procedência diferente daquele que você fez. O Laboratório Maricondi pode orientar você sobre isso. Peça orientação.

Dispomos de vários tipos de testes para detecção da COVID-19:

Os testes rápidos são fáceis de realizar, podem ser processados fora do laboratório, não requerem instrumentos de leitura e os resultados são obtidos em 15 minutos. Os testes qualitativos pesquisam anticorpos IgM e IgG ou o antígeno viral. Este último tem baixa sensibilidade (60%), a qual é dependente de alta carga viral. Saiba mais. 

Os testes sorológicos que identificam anticorpos IgM e IgG tem ganhado cada vez mais a atenção em sua utilização pelo seu vantajoso tempo de resposta mais rápido, menor carga de trabalho e alto rendimento, uma vez que são menos complexos que os testes moleculares. Saiba mais.

 

 

Este exame tem uma sensibilidade maior que 99%. É indicado para assintomáticos e sintomáticos a partir do 14º dia após o ínicio dos sintomas, com grau de confiabilidade maior que o teste rápido, até então utilizado para saber se a pessoa já teve contato com o Coronavírus. Resultado para o mesmo dia. Saiba Mais

 

 

O RT-PCR é caracterizado pelo isolamento e purificação do RNA viral das amostras do trato respiratório superior e inferior, o qual é transcrito reversamente para cDNA e subsequentemente amplificado no Instrumento de PCR em tempo real. Saiba mais.

 

 

 

 

TESTE RÁPIDO COVID-19 SARS-CoV-2 Ag

O teste rápido Ag possui coleta semelhante ao PCR-RT no qual utiliza amostra de Swab de nasofaringe, porém com tempo de resultado de 15 a 30 minutos além de possuir sensibilidade de mais de 80%. Pode ser ótima alternativa para assintomáticos devido sua maior chance de detecção em relação ao teste rápido convencional.

 

SIGLA: COVPCR



Para fazer o teste de COVID-19 conosco, entre em contato:



Alguns comentários sobre os testes diagnósticos para a COVID-19

Os testes diagnósticos para identificar a presença do SARS-CoV-2, vírus causador da COVID-19, foram desenvolvidos em tempo recorde em virtude da urgência imposta pela pandemia, a qual continua crescendo a taxas alarmantes e causando grande número de óbitos. Há um grande esforço conjunto para controlá-la, havendo, em muitos países escassez de recursos, o que prioriza o estabelecimento de estratégias assertivas, tomando como referência os países que passaram previamente por situações semelhantes e que conseguiram desacelerar o crescimento da pandemia através de uma vigilância intensiva e na identificação e isolamento dos portadores da doença, bem como de seus contatos com indivíduos suscetíveis.

 

Estar ciente que um teste é adequado para um determinado uso (como vigilância epidemiológica), mas pode ser completamente inadequado para outro (como rastreamento de pacientes sintomáticos) é fundamental para a análise de seus resultados, para sua correta aplicação e interpretação. Portanto, os testes de amplificação de ácido nucleico seriam indicados no rastreamento de pacientes sintomáticos, enquanto a detecção de anticorpos derivados do hospedeiro direcionados contra o SARS-CoV-2 é crucial para a vigilância epidemiológica, previsão de epidemias e determinação da “imunidade” à COVID-19.

 

1. Embora a RT-PCR seja o teste de escolha nos pacientes sintomáticos e nos critérios de alta, sua sensibilidade não é totalmente satisfatória, principalmente quando a amostra é obtida do trato respiratório superior, uma vez que falsos negativos podem ocorrer pelo momento inadequado da coleta da amostra em relação ao início da doença e por deficiência na técnica da coleta, especialmente nos swabs do naso e orofaríngeo, bem como pela localização anatômica da amostra a ser coletada, afetando a sensibilidade dos testes de RT-PCR. Estudos mostram que a positividade do teste de RT-PCR foi maior em amostras de lavado broncoalveolar (93%), seguidas de escarro (72%), swab nasofaríngeos (63%) e swab orofaríngeos (32%).

 

2. A associação da RT-PCR com o teste sorológico pode melhorar a detecção de casos, com sensibilidade e especificidade próximas a 100%, quando realizadas por 7 ou mais dias a partir do início dos sintomas.

 

3. Nos 7 primeiros dias da sintomatologia, o teste de RNA apresenta maior sensibilidade (66,7%), enquanto os testes de anticorpos mostraram taxas de positividade de 38,3%. Entretanto, a partir do 8º dia, a taxa de sensibilidade dos anticorpos é superior às do teste de RNA, bem como do 15º ao 39º dia o RNA é detectável em apenas 45,5% das amostras, enquanto a presença de anticorpos é próxima de 100%.

 

4. Na prática de saúde pública, a análise sorológica pode ser útil para a rápida identificação de casos e a subsequente cadeia de eventos para identificar ativamente contatos próximos, recomendar quarentena e estabelecer grupos de acordo com os resultados.

 

5. A utilização dos testes de pesquisa de anticorpos é bastante útil na identificação de pacientes portadores da COVID-19, não só em sua aplicação junto com a RT-PCR nos pacientes sintomáticos, como também nos pacientes com doença leve a moderada ou assintomáticos, desde que respeitado o tempo para que os níveis de anticorpos sejam suficientes para serem detectados pelo teste, ou seja, a partir da segunda semana.

 

6. A pesquisa de anticorpos vem se tornando ferramenta importante para entender a extensão da COVID-19 na comunidade e para identificar indivíduos imunes e potencialmente “protegidos” de serem reinfectados.

 

Fonte: Maricondi - Adaptado